rss
 

“Amanhecer: Parte I” é comédia espontânea

Plumas
28 NOV
Texto escrito por: Pâmela Alves

ATENÇÃO, ESTE TEXTO POSSUI SPOILERS


Estreou no fim de semana passado a primeira parte de “Amanhecer”, último volume da Saga Crepúsculo. Com mais de 700 mil ingressos vendidos em pré-venda, as 1.102 salas que exibem o filme ficaram lotadas durante o final de semana inaugural, fazendo da película a maior estreia já realizada no cinema brasileiro – mais de 1 milhão e 700 mil telespectadores.

 

E mesmo a euforia sendo gigante em torno da trama, o resultado pode agradar somente os fãs da saga. Com um novo diretor (Bill Condon assumiu o posto de David Slade), as promessas de o filme deixar de ser meloso e se tornar mais aterrorizante me fizeram vibrar por alguns minutos e, não porque eu goste de filmes de terror (acreditem, eu não gosto), mas o romance excessivo das outras películas da saga deixavam tudo muito travado.

 

A primeira metade de “Amanhecer: Parte 1″ gira em torno do casamento e da lua de mel do casal Edward Cullen e Bella Swan – sim, tudo muito romântico, com frases dignas de Romeu e uma bolha de proteção presente desde o primeiro filme. Depois da visita ao Brasil (com uma sequência de quase 20 minutos), a trama parece agitar quando o casal retorna a Forks e Jacob descobre a gravidez de sua “amada”.

 

Aliás, as cenas em que os lobos aparecem melhoraram em relação ao último filme. Em “Amanhecer” é a primeira película em que podemos ver a alcatéia se comunicando transformada. Muita gente achou confuso, eu particularmente achei uma das cenas mais bem boladas da sequência.

 

 

Mas o terror mesmo fica para o finalzinho da película, Bella quebrando a espinha é de dar aflição em qualquer um, assim como as cenas de magreza excessiva da personagem que começa a ser consumida por dentro pelo bebê que espera.

 

“Amanhecer: Parte 1″ encontra no humor espontâneo seu maior trunfo – as cenas cômicas, já presentes em “Lua Nova” e “Eclipse”, arrancam gargalhadas da plateia; os discursos no casamento do casal, as encanações de Bella ao abrir sua mala na lua de mel, as alfinetadas de Jake e Rosalie (que poderiam ser mais exploradas), as tiradas de Emmet, tudo muito fiel ao livro, mas com uma pitada de atualidade que chega a soar familiar.

 

Com esse “diferencial” o longa ganha leveza mesmo com o ar mórbido da situação de Bella. As cenas escuras demais ainda incomodam, a atuação de Kristen também, os efeitos de velocidade dos vampiros parecem mais um artefato de humor, mas não se enganem, são apenas ruins e pronto. A maquiagem ainda parece uma máscara de gesso que impossibilita as expressões dos atores. Ou seja, alguns problemas anteriores continuam sem solução e pelo visto acabarão a saga do mesmo jeito que começaram. O que impressiona pela queda de qualidade neste último filme é a trilha sonora, marcante nos três primeiros capítulos. Em “Amanhecer”, ela mais parece um cd de consultório médico, com exceção das canções que seguem todos os filmes, mas que não encontram boas aparições neste último longa.

 

 

Ponto positivo para Taylor Lautner, o intérprete de Jacob Black, que continua a evoluir. Com um personagem repleto de ódio, mágoa e angústia, o rapaz mostra que está crescendo como ator e pode sim ultrapassar a saga adolescente, o que ainda não aconteceu com seu último longa, “Sem Saída”, que foi resenhado aqui. Boo Boo Stewart também surpreende – o interprete do amigável lobinho Seth ganha simpatia em sua primeira aparição no filme. Billy Burke, que vive Charlie Swan, também é destaque, o que aumenta a ansiedade por sua atuação na segunda parte da película, quando ele descobre a verdade sobre os Cullen.

 

Resumindo: “Amanhecer: Parte 1″ vai enlouquecer as fãs, ser criticado e aclamado por um bom tempo, mas nem por isso pode ser classificado como um excelente filme. Ele trabalha bem com o material que tem e só. Por isso fica a responsabilidade de “Amanhecer: Parte 2″ mostrar o porquê de todo esse estrondoso sucesso que bateu recordes e foi a melhor estreia do cinema brasileiro desde “Homem Aranha 3″.

 

Ai vai uma dica, se você passa mal ao ver sangue ou tem aflição com isso, se prepare: as cenas em que Bella bebe plasma de canudinho podem amolecer suas pernas.


Gostou do texto acima? Saiba então que o Lérias & Lixos também faz a sua diversão no Twitter, no Facebook, no Youtube e no Orkut. A gente se vê por lá!
  • Anônimo

    Os efeitos de magreza em Kristen Stewart estão mega chocantes!